O grande circuito de Angkor Wat e a despedida do Camboja

East Mebon - angkor wat camboja.JPGÚltimo dia em Siem Reap foi bem corrido, pois teríamos que pegar um vôo para Ho Chi Minh (antiga Saigon, Vietnã) no final da tarde.

Combinamos com o mesmo motorista de Tuk Tuk de nos levar para ver mais um pouco dos templos. Salvo engano, no primeiro dia pagamos 18 dólares para fazer o “pequeno circuito” e 13 dólares no segundo dia para fazer o “grande circuito”.

Fomos ao Preah Khan Temple que fica bem ao norte do complexo.

preah-khan-temple-angkor-wat-camboja-2

Saímos de lá direto para o pequeno Neak Poan que fica “do outro lado da rua” e é envolto por vários lagos. Esse templo era considerado um hospital, pois as pessoas acreditavam que poderiam ser curadas ao mergulhar em suas águas.

Neak Poan angkor wat camboja .JPG

Fomos então para o Ta Som que também fica bem pertinho.

Prasat Ta Som - angkor wat camboja 3.JPG

Prasat Ta Som - angkor wat camboja.JPG

Seguimos para o East Mebon, que foi um templo dedicado ao Deus Hindu Shiva.

East Mebon - angkor wat camboja 3.JPG

Encerramos o tour no Prei Rup, outro templo dedicado a Shiva, contudo, este era utilizado para cremação da população.

Pre Rup  - angkor wat camboja.JPG

Pre Rup  - angkor wat camboja 2 .JPG

Pre Rup  - angkor wat camboja 3.JPG

Ao final do tour, pedimos ao motorista para nos deixar na Pub Street no centro de Siem Reap. Almoçamos em um restaurante que nos agradou bastante e, por isso, recomendo a todos: The Sun.

Voltamos para o hotel com o tempo exato para fazer uma maravilhosa massagem cambojana para relaxar e seguir para o aeroporto.


Como nosso tempo no Camboja foi curto e apenas de segunda à quarta, tivemos que abrir mão de três experiências que acho que são muito válidas. A primeira é comer o famoso Cambodian Barbecue (churrasco cambojano) e a segunda é o Night Market. A terceira é conferir o Concerto Beatocello no Hospital Infantil Kanta Bopha que é realizado por um médico suíço para arrecadar fundos para os hospitais infantis e ocorre apenas em alguns dias da semana (em alta temporada às quintas e sábados). Claro que ainda tem várias outras atrações, mas essas eu achei as mais interessantes.

Apesar de ter adorado visitar os templos e aprender um pouco sobre a cultura cambojana, sobre as consequências de algumas invasões e sobre o Kehmer Vermelho, o que mais gostei no Camboja foi a sensação de bem estar, de paz, de alegria que simplesmente não consigo transmitir através de fotos e palavras.

cambojanas-angkor-wat-camboja-3

Os Cambojanos são alegres e pacíficos, apesar de todos os problemas sofridos pela população, que até hoje é muito pobre. Não é nada difícil arrancar um sorriso de um cambojano.

Os turistas sentem o reflexo dessa tranquilidade transmitida pelos cambojanos. A maioria se entrega aos encantos do país e vive, ainda que por poucos dias, de uma forma mais simples e leve, seja pelas roupas escolhidas, seja pelos lugares que frequentam… É inevitável ver o sorriso e o brilho no olhar das pessoas enquanto elas estão no Camboja!

Se eu pudesse voltar atrás, teria deixado o Camboja por último na viagem, pois queria ter voltado ao Brasil com a sensação que saí de lá…

Anúncios

2 comentários sobre “O grande circuito de Angkor Wat e a despedida do Camboja

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s